Igreja de Sant’Anna – Japuíba

Conhecendo a História da Igreja de Sant´Anna

Por Maria Maria Martins Silva Stancati

A Igreja de Sant´Anna está localizada em Sant´Anna, em Japuíba, distrito de Cachoeiras de Macacu, bem no ‘pé da serra’, com clima quente durante o dia e frio à noite, numa região circundada de Mata Atlântica sendo um reduto de belezas naturais, num clima interiorano, ela está situada na antiga Freguesia de Sant’Anna do Macacu, tendo, sua história, tradição, curiosidades e arte.
Relatos no Livro Tombo dizem que a Igreja Matriz velha surgiu da Capela da Santíssima Trindade datada de 10/08/1675, que ficava numa fazenda, mas aberta aos habitantes da localidade. Em 1737 a população local decidiu aumentar a capela, edificando a Igreja, cuja obra foi concluída com a colocação da pia batismal em 1743.
A Matriz já foi chamada de Santíssima Trindade de Sant’Anna, Santíssima Trindade de Sant’Anna do Macacu e atualmente de Igreja de Sant’Anna. No seu altar-mor estão: a imagem de Senhora Sant’Anna ao centro, nas laterais a imagem do Pai Eterno, de Cristo Rei e do Espirito Santo (no alto), compondo a Santíssima Trindade. Ainda não se sabe se essas imagens já estavam na antiga capela quando ela foi ampliada ou se vieram da Igreja da Santíssima Trindade de Papucaia, que hoje se encontra em ruínas, pois elas datam do mesmo período histórico com traços de fabrico semelhantes.
Ainda no altar-mor, se encontram as imagens de São José e São Joaquim. No corpo da Igreja, temos as imagens de São Miguel, São Benedito, Nossa Senhora do Rosário. E hoje, junto das imagens de madeira, existem as imagens de gesso de Nossa Senhora das Graças, Nossa Senhora das Dores, Sagrado Coração de Jesus, Jesus morto, Nosso Senhor dos Passos, Santo Antônio e Nossa Senhora Aparecida, além de presépios e crucifixos em geral. Algumas dessas imagens estão na Igreja Matriz auxiliar.
Com relação à tradição, há relatos muito antigos sobre a Festa da Padroeira, que era originalmente apenas religiosa, havendo várias missas no dia da padroeira, tendo bênção do Santíssimo, comunhão geral, batizados, primeira comunhão e crismas. Quando a Festa começou a abranger a parte social, ela passou a ser promovida na praça em frente à Igreja, aumentado de um para três dias. Neste momento já haviam barraquinhas de comida e artesanatos, e também as famosas bandeirinhas do Mestre Dudu.
O Hino de Sant’Anna teve sua letra composta pelo Pe. Leucílio e música do Mestre Dudu (mestre da banda de Japuíba). Ele é cantado, durante a Festa, pedindo as bênçãos da avó de Jesus. Atualmente nossa Festa conta com barracas diversas, shows variados e caravanas de peregrinos que vêm para homenagear Sant’Anna. Como folclore da Festa de Sant’Anna há a lenda de São Benedito, se o santo não sair num andor na procissão de Sant’Anna, é chuva na certa.
Em 2011 começou o movimento da restauração da Igreja Matriz velha com o lema ‘Nossa história é de fé, nossa Igreja tem arte’. Para que fosse resgatado o máximo de informação possível sobre a história da igreja foi realizado um apanhado histórico nos livros tombo e uma exposição de fotos antigas que trouxe muitas lembranças e emoções à população japuibense.
Foram restauradas as imagens de Sant´Anna e Nossa Senhora menina e de Nossa Senhora do Rosário, que estavam em piores condições. A porta do sacrário, onde havia uma imagem entalhada do Cristo Ressuscitado foi refeita, bem como o altar-mor (trocadas as madeiras apodrecidas) recuperando as cores e detalhes originais que haviam sido retirados e refeito seu teto já que o original era de estuque e caiu.
O coro recebeu um revestimento de madeira, como forma de lembrar o coro antigo, pois ele havia sido refeito em cimento por conta do apodrecimento das madeiras. As demais imagens continuam em processo de restauração no Ateliê Nossa Senhora da Penha, que está sendo responsável por toda a restauração da Igreja.
E, depois de alguns anos de trabalho, a Igreja terá suas portas reabertas no dia da Padroeira, em 26 de julho de 2017, para que os paroquianos, os romeiros e a população em geral possam contemplar esse tesouro da história do Município de Cachoeiras de Macacu.

Já esteve na Igreja de Sant’Anna em Japuíba? Conhecia sua história? Conte nos o que achou, deixe um comentário!

 

Comments

comments

Você também pode gostar...