Quinta 10/08 – XVI MFL – Com o Terceiro Olho na Terra da Profanação

XVI Mostra de Filme Livre em Cachoeiras de Macacu! A Assessoria de Cultura fechou essa parceria que possibilita a todos terem acesso a filmes e debaterem cinema. Atividade gratuita, aberta ao público infanto-juvenil e adulto. A programação é composta por curtas metragens brasileiros. O Colégio Estadual São José já garantiu suas vagas. Venha você também 

Com o Terceiro Olho na Terra da Profanação

Três garotas desenham seu cotidiano com pequenas magias. A cidade de Nilópolis se revela uma terra misteriosa e Sofia, Gai e Tina ocupam as ruas noite, curtem o show da Trash no Star e fortalecem sua amizade com bruxaria e rodinha punk.

Direção: Catu Rizo
Duração: 66 min
UF/Ano: RJ/2016
Classificação Indicativa: 12 anos
Equipe: Argumento Catu Rizo Roteiro Coletivo Assistente de Direção: Helena Lessa / Preparacao de ator Bruno Reis – Lívia de Paiva Fotografia: Lucas Andrade – Pedro Lessa Som: Fabricio Rodrigues / Gustavo S. Pires / Vanessa Alcântara Arte: Dalila Aguiar – Patrícia Cavalheiro Produção: Brenda Melo – Fernanda Hiraga – Lucas Texeira Montagem : Elena Meirelles – Gabriela Rizo – Petrus de Bairros Alimentação: Brenda Melo -Maria Rizo – Raimunda Theophilo -Paula Silva mixador: Tomaz Griva Viterbo correção de cor: Pedro Félix
Elenco: Dalva de Andrade Flaviane Damasceno Fernanda Carvalho Joana Ribeiro Rubens Gabriel Ferri Lucas Gibi Brenda Melo Milton Catarino Ferreira Lú Anjos
Contato: Gabriela Rizo Ferreira – gabirizo@gmail.com

Texto Premiação

“ Abrindo o terceiro olho ou as bruxas de Nilópolis

Segundo o wikipédia (cujas fontes sobre este tópico não são citadas), o terceiro olho ou o sexto chakra, como é conhecido no hinduísmo, pode alcançar um alto grau de capacidade intuitiva e sensitiva se for bem desenvolvido. Enfraquecido, pode apontar para um certo primitivismo psico-mental, ou no aspecto físico, pode evoluir para um tumor craniano, ou seja, o câncer. Esta tradução metafísica pode ajudar a compreender bem a mística que envolve a realização deste filme singular e surpreendente realizado dentro de um processo coletivo e colaborativo, segundo sua diretora Catu Rizo. “Qualquer coincidência com a realidade é pura magia”. Destes elementos, surge um filme feminino poderoso, que pode ser visto também como uma crônica anárquica sobre a vida social de três jovens amigas a flanar pelo subúrbio (o filme foi rodado em Nilópolis, Baixada Fluminense, território místico e subversivo por natureza). Em busca de afeto e liberdade, as protagonistas promovem sessões de bruxarias em terrenos baldios e outros territórios simbólicos. Com o Terceiro Olho na Terra da Profanação, estréia no longa metragem da diretora Catu Rizo (guardem esse nome!), ainda é sublinhado por uma poesia incrivelmente livre e uma seleção musical intergaláctica, onde escutamos Patti Smith, Mercenárias e Smetak, entre outras freqüências sonoras, como a banda punk rock no bar sem nome, que aparece a certa altura do filme nos revelando que “tudo que é sólido desmancha no ar”…

Por Chico Serra

Página do evento

Comments

comments

Você também pode gostar...